Tecnologia & Qualidade

Processo produtivo:

Almoxarifado – Fase na qual a fibra (matéria-prima) é armazenada em pilhas de acordo com a sua classificação.

Seleção e Batimento – Nesta etapa a fibra bruta passa por um processo em máquinas batedeiras, que submetem a fibra a um processo de limpeza, amaciamento e padronização de tamanho. É feito ainda um procedimento seletivo em que sujeiras, cascas, fibras escuras e curtas são retiradas.

Preparação – Nesta primeira etapa de industrialização, utiliza-se máquina espalhadeiras, internacionalmente conhecida como Goods, e as penteadeiras chamadas de Passador. Estas máquinas inicialmente recebem feixes de fibra de sisal com peso e velocidade de abastecimento padronizado e transforma-os em mechas alongadas e regulares, suscetíveis à fiação.

Fiação – Máquinas fiadeiras transformam a mecha de sisal em fios. Nos funis da gaiola de alimentação das fiadeiras são colocadas as mechas da preparação que sofrem um processo de estiragem e torção formando fios. As bobinadeiras finalizam o estágio ao constituir a bobina do fio retirando-os dos carretéis que vêm das fiadeiras.

Tecelagem – Nesta fase teares têm por função produzir as telas de sisal e para isto tecem os fios que se cruzam alternadamente de forma perpendicular. Para a formação de uma boa tela os teares exigem um fio fino de qualidade apropriada, com torção constante e definida de acordo com a espessura do fio. Os fios utilizados são finos, fabricados em fiadeiras específicas que demandam mechas de sisal de alto grau de limpeza.

Revisão – Máquinas rebobinadoras desempenham o papel de repassar as telas para identificar falhas, caso haja, e corrigi-las.

Inspeção – Ação final de certificação visual feita em toda a extensão do produto, buscando verificar possíveis defeitos não observados na revisão.

Estoque / Expedição – Estágio final em que os produtos já embalados são estocados e encaminhados à expedição.